ACAVER dos Exploradores em Couto Esteves

6 08 2010

Couto Esteves foi o local escolhido para o grande acampamento de final de ano do grupo explorador do Agrupamento 1143 de Oiã. Desde 31 de Julho, foram sete dias no seio da natureza, a desafiar os medos e a explorar o rio Teixeira, conhecido como o mais limpo da Europa.
Na quente manhã de sábado, por volta das 8 horas, os exploradores foram chegando de mochila às costas, prontos para a grande aventura. A viagem de 60km foi rápida e quando chegámos à Quinta de Santa Isabel, começámos a montagem de campo. Uma permanência de 7 dias em campo desafiava a técnica e os conhecimentos de pioneirismo dos exploradores. Era preciso construir mesa e bancos para tomar as refeições, banca para lavar os pratos, fossa para verter os líquidos, montar as tendas para dormir, um pórtico comum e uma vedação de campo para marcar o nosso espaço.

Leia o resto deste artigo »

Anúncios




Acampamento de Exploradores em Couto Esteves

11 07 2006

Dando cumprimento ao plano de actividades deste ano, o grupo explorador do Agrupamento 1143 de Oiã realizou, entre o dia 7 e o dia 11 de Julho, o acampamento de Verão, em Couto Esteves, Sever do Vouga.

Na sexta-feira de manhã, cedo se concentraram os escuteiros junto da Sede para iniciarem as suas actividades. Quando chegaram ao local de acampamento, os exploradores montaram as tendas e construíram, com as amarrações que aprenderam e por patrulha, um pórtico, uma mesa e uma banca.

No sábado os exploradores tiveram um dia de jogos no rio, entre os quais o tiro ao alvo com arco e flecha, a pontaria com fisgas e a travessia de uma ponte de paralelas sobre o rio com cerca de 20 metros. À noite houve ainda lugar para uma formação em cozinha selvagem que ao jantar se concretizou.

No domingo de manhã, os exploradores participaram de uma celebração eucarística em campo, presidida pelo Sr. Padre Rocha que no mesmo parque acampava como orientador do grupo de jovens de Vera Cruz.

De tarde partiram para um raid. A aventura, cujo imaginário foi feito pelos próprios exploradores e à qual deram o nome de “A Batalha Sem Retorno”, concretizou-se quer nesta caminhada, quer na eucaristia, como uma luta contínua por aquilo em que acreditamos, por viver cada dia de acordo com as leis do escuta e como bom cristão. Uma vez encetada a vida, ela é um dom do qual não se pode abdicar e mesmo que alguma vez surja uma derrota, o mais importante é saber aprender com ela e voltar a erguer-se.

Os escuteiros atravessaram as águas do rio e dormiram ao relento para despistar os saqueadores que os perseguiam. Para muitos elementos do grupo, esta foi uma experiência nova e encarada com muita coragem.

Na segunda-feira, os exploradores regressaram ao campo onde terminou o raid e foram ao merecido banho no rio. À noite, teve lugar o fogo de conselho, um momento comum característico destes acampamentos em que os elementos se reúnem à volta da fogueira e partilham experiências, ideias e apresentam jogos, teatros e orações.

A terça-feira reservou-se para a desmontagem de campo, a avaliação do acampamento e do ano e o regresso a Oiã, onde se encerrou a actividade.

Este acampamento foi um projecto ambicioso quer no tempo de preparação, quer na duração das actividades, mas teve como grande sucesso o facto de proporcionar aos exploradores actividades novas e experiências intensas, que os encheram de alegria.

Exploradores - ACAVER 2006

Exploradores - ACAVER 2006

Exploradores - ACAVER 2006

Exploradores - ACAVER 2006